(41) 3360-5336

Meio Ambiente e Sustentabilidade – MAS/2024.2


Meio Ambiente e Sustentabilidade – MAS/2024.2

Meio Ambiente e Sustentabilidade – MAS/2024.2
Disciplina TransversalMeio Ambiente e Sustentabilidade
Sigla no SIGAPRPPG-7013
OfertaSegundo semestre de 2024
Dia da semanaTerça-feira
HorárioDas 09h às 12h
Local de acessoAs aulas devem ser acompanhadas remotamente AO VIVO através de link que será disponibilizado aos matriculados.
Inscrições01/07/2024 à 31/07/2024
Alunos UFPR:
As inscrições devem ser realizadas via portal do aluno no SIGA.
Alunos de instituições parceiras:
Vide instruções aqui.
Início das aulas20/08/2024
Previsão de fim das aulas12/11/2024
Total de encontros previstos12
Carga horária / créditos45 horas – 3 créditos (leia sobre os créditos ao final desta página)*
Professoras responsáveisKátia Valéria Marques Cardoso Prates (UTFPR) e Cristina de Araújo Lima (UFPR)
E-mail da Disciplina:disciplina_mas@ufpr.br

Requisitos:

Ser docente ou discente vinculado à pós-graduação stricto sensu da UFPR ou de universidades parceiras do Estado do Paraná.

Consulte nossas parceiras aqui.


Ementa:

A disciplina Meio Ambiente e Sustentabilidade tem por objetivo apresentar, desenvolver e relacionar conceitos que permeiam a relação do ser humano com o meio ambiente considerando os impactos em função do desenvolvimento da sociedade nos ambientes urbanos e rurais, com foco na evolução das políticas públicas. Neste sentido, serão explorados tópicos relativos a diversos eixos temáticos: relação ser humano e meio ambiente, evolução das políticas ambientais, desenvolvimento urbano e rural sustentável, urbanização e mudanças ambientais globais, mudanças climáticas recentes, fontes de energias limpas e valorização de resíduos e economia circular.


Bibliografia (sujeita a alterações): 

AMAZONAS, Mauricio de Carvalho. ECONOMIA VERDE E RIO + 20: RECORTANDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. REVISTA NECAT – Revista do Núcleo de Estudo de Economia Catarinense, v. 1, p. 24-39, 2012. Disponível em: http://www.realp.unb.br/jspui/bitstream/10482/24795/1/ARTIGO_EconomiaVerdeRIO%2b20.pdf

ARAUJO-LIMA, Cristina; ARAÚJO, Adelita; BALBIM, Renato; SABATÉ, Joaquín (org). Sustentabilidade, mito ou meta. O desenvolvimento urbano e territorial. Práticas e perspectivas. Curitiba: Setor de Tecnologia, Universidade Federal do Paraná, 454p., 2024.

CECHIN, Andrei Domingues e VEIGA, José Eli da. A economia ecológica e evolucionária de Georgescu-Roegen. Revista de Economia Política, v. 30, n. 3, p. 438-454, 2010Tradução. Disponível em: https://doi.org/10.1590/s0101-31572010000300005. Acesso em: 06 jun. 2024

CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS – CGEE. Políticas e soluções para cidades sustentáveis: Soluções baseadas na Natureza (SbN). Resumo Executivo. Brasília, DF: CGEE, 2022.

Diamond, Jared. 2005. Colapso: como as sociedades escolhem o fracasso ou o sucesso. Editora Record.

Goldemberg, José; Lucon Oswaldo. Energias Renováveis: fundamentos e Aplicações (2007).

GUDYNAS, Eduardo. La senda biocéntrica: valores intrínsecos, derechos de la naturaleza y justicia ecológica. Tabula Rasa, n.13, p. 45-71, 2010.CUNHA, S. B.; GUERRA, A. J. T. (Orgs.). A questão ambiental: Diferentes abordagens. 2ª Ed. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, 2005.

FARINÓS, J. D. (Org.). De la Evaluación Ambiental Estratégica a la Evaluación de Impacto Territorial: Reflexiones acerca de la tarea de evaluación. Universidad de Valencia, España. 2011.

GOLDEMBERG, J. Energia, Meio Ambiente & Desenvolvimento. Editora EDUSP. 3ª edição revisada e ampliada.

HINRICHS, R. A.; KLEINBACH,M.; REIS, L. B. Energia e Meio Ambiente. Tradução da 5 ed americana. Cengage Learning Edições Ltda, São Paulo, SP, 2015.

IPCC. Climate Change 2021: The Physical Science Basis. Contribution of Working Group I to the Sixth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Disponível em: https://www.ipcc.ch/report/ar6/wg1/downloads/report/IPCC_AR6_WGI_TS.pdf.

IPCC. Summary for Policymakers. In: Climate Change 2022: Impacts, Adaptation and Vulnerability. Contribution of Working Group II to the Sixth Assessment Report of the Intergovernmental Panel on Climate Change. Disponível em: https://www.ipcc.ch/report/ar6/wg2/downloads/report/IPCC_AR6_WGII_SummaryForPolicymakers.pdf.

“Kaza, Silpa; Yao, Lisa C.; Bhada Tata, Perinaz; Van Woerden, Frank. 2018. What a Waste 2.0 : A Global Snapshot of Solid Waste Management to 2050. Urban Development;. Washington, DC: World Bank. © World Bank. https://openknowledge.worldbank.org/handle/10986/30317 License: CC BY 3.0 IGO.”

MARQUES, G. F., FORMIGA-JOHNSSON, R. M., OLIVEIRA, P. P. F., MOLEJON, C., & BRAGA, C. F. C. (2022). Os serviços de gestão de recursos hídricos. Revista de Gestão de Água da América Latina, 19, e1. https://doi.org/10.21168/rega.v19e1

REIS, L. B.; SILVEIRA, S.(org). Energia Elétrica para o Desenvolvimento Sustentável. Editora: edusp. 2ª edição, 2012

SÁNCHEZ, L. E. Avaliação de impacto ambiental: conceitos e métodos. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. 2ª Edição. 584p.

SILVA, Christian Luiz da; FRANZ, Nádia Mara. The Global Movement of the Transition from Linear Production to the Circular Economy Applied to the Sustainable Development of Cities. Fronteira: Journal of Social, Technological and Environmental Science, [S. l.], v. 11, n. 2, p. 52–67, 2022. DOI: 10.21664/2238-8869.2022v11i2.p52-67.

SOUZA Et. Al. (2020), Reconstructing Three Decades of Land Use and Cover Changes in Brazilian Biomes with Landsat Archive and Earth Engine. Remote Sensing. V. 12. Issue 17, Doi: https://doi.org/10.3390/rs12172735

Senfield, J.H., Pandis, S.N., 2016. Atmospheric Chemistry and Physics: From Air Pollution to Climate Change.

Wallace, J.M., Hobbs, P.V., 2006. Atmospheric Science: An Introductory Survey, International Geophysics Series vol. 92, 2nd edition, Editorial Elsevier.

Wengenmayr, roland; Buhrke, Thomas. Renewable Energy: Sustainable Concepts for the Energy Change.

 


Cronograma (sujeito a alterações): 



Avaliação:

Serão realizadas atividades avaliativas a cada aula ministrada. Mais informações sobre a avaliação serão disponibilizadas durante as aulas.


* Créditos da disciplina

ATENÇÃO: O aproveitamento ou equivalência dos créditos das disciplinas transversais não ocorre automaticamente e dependerá do Colegiado do programa de pós-graduação ao qual o aluno está vinculado. Compete ao Colegiado decidir sobre o aproveitamento de estudos e a equivalência de créditos, conforme artigo 18 da Resolução 32/17-CEPE.

As disciplinas transversais poderão ser aproveitadas ou equiparadas com disciplinas ofertadas da grade do programa, a critério do colegiado. Não é obrigatório que o programa integralize os créditos cursados, portanto, é importante que o discente informe-se com a coordenação do programa de pós-graduação de vínculo sobre este assunto.


Se necessário a Coordenação do Projeto poderá alterar o cronograma e outras características desta disciplina sem aviso prévio.


Mais informações em: https://transversais.ufpr.br/perguntas-frequentes/